Contabilidade, poesia 1996 - 2010

Contabilidade poesia A poesia de valter hugo m e recolhida neste volume mostra quinze anos de oficina l rica que na verdade foi a grande escola do escritor S o onze t tulos aqui inclu dos que se revelam muito diferentes

  • Title: Contabilidade, poesia 1996 - 2010
  • Author: valter hugo mãe
  • ISBN: 9789896720599
  • Page: 317
  • Format: Paperback
  • A poesia de valter hugo m e recolhida neste volume mostra quinze anos de oficina l rica que, na verdade, foi a grande escola do escritor S o onze t tulos aqui inclu dos que se revelam muito diferentes pela progressiva narratividade, acentuada nos trabalhos mais recentes, e pela intimidade, ou confessionalidade, que os seus versos come am a assumir Entre uma ferocidade inA poesia de valter hugo m e recolhida neste volume mostra quinze anos de oficina l rica que, na verdade, foi a grande escola do escritor S o onze t tulos aqui inclu dos que se revelam muito diferentes pela progressiva narratividade, acentuada nos trabalhos mais recentes, e pela intimidade, ou confessionalidade, que os seus versos come am a assumir Entre uma ferocidade incondicional e uma vulnerabilidade profunda, a poesia deste autor passa por livros como tero, pornografia erudita, a natureza revolucion ria da felicidade, ou o mais recente t tulo, o inimigo c dentro.

    One thought on “Contabilidade, poesia 1996 - 2010”

    1. a dor de burroestou a plantar florinhas nascavidades dos olhos para não ver maisnada e perfumarestou a plantar florinhas e acorrer atrás das abelhas para que mequeiram o pólen, para que me queiram operfume, para que me queiram ocoração, para que me queiramcorro atrás das abelhas masdá-me a dor de burro e dá-me ador de corno, dá-me o sãocricalho e dá-me a desilusãoestou a plantar florinhas nas cavidades doscornos, nas aortas, nas gavetas dacozinha, nas abelhas mortas. seperfumar o mun [...]

    2. Segunda vez que peguei neste livro, da primeira vez entreguei-o na biblioteca sem ler, tal como A Máquina de Fazer Espanhóis. Mas como dei uma segunda oportunidade a este último e não me arrependi, resolvi dar também a este, especialmente depois de ter lido O Remorso de Baltazar Serapião e detestado. Não sei por que insisto, talvez por ter gostado bastante de são salvador do mundo e do artigo da Granta Portugal 1: Eu, a verdade é que a poesia deste autor não me disse grande coisa e por [...]

    3. "existe uma arritmia ténueno coração de quem perdeuo amor de outrem, um coraçãoténue que se sobrepõe ao quejá se tem"

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *